Villa-Lobos e a modernização da música clássica no Brasil

Ser músico no Brasil era uma aventura. Mas era disso que Villa-Lobos gostava.

Ser músico no Brasil era uma aventura. Mas era disso que Villa-Lobos gostava.

18.09.2018
706 VISITAS
O carioca Heitor Villa-Lobos nasceu em 1887 e com o estímulo do pai, que era músico, começou a compor bem cedo, mesmo sem ir para o conservatório. Aliás, ser músico no Brasil era uma aventura. Mas era disso que Villa-Lobos gostava.

Viajou por todo o interior do Brasil pesquisando o nosso folclore musical. Conheceu a moda caipira e de viola e tratou de inserir seus novos conhecimentos nas suas composições. A Semana de Arte MOderna de 1922 foi um marco em sua carreira, pois dali partiu para a Europa e em Paris fez um grande sucesso, calando a boca da imprensa brasileira que criticava a modernidade de sua música.
Mas como tantos outros artistas de nosso país, precisou disso para voltar triunfante e em 1930 fez uma turnê memorável. Acabou sendo considerado o maior expoente da música do modernismo no Brasil, compondo obras que contêm nuances das culturas regionais brasileiras, com os elementos das canções populares e indígenas. No Brasil, sua data de nascimento (17 de novembro) é celebrada como Dia Nacional da Música Clássica.
Seu sucesso culminou com a criação da Secretaria da Educação Musical pelo governo Vargas, que foi dirigida por ele e com a criação da lei que obrigava o ensino de música nas escolas.
Uma de suas composições que primam pela originalidade é o famoso Trenzinho do Caipira, parte integrante da peça Bachianas Brasileiras nº 2(1930). A obra se caracteriza por imitar o movimento de uma locomotiva com os instrumentos da orquestra.

DESTAQUES QUE PODEM INTERESSAR...

Confecção comemora centenário do Gato Félix
Confecção comemora centenário do Gato Félix  
Acreditem, Drácula não nasceu pop
Acreditem, Drácula não nasceu pop  
O homem do Planeta X
O homem do Planeta X